Análise de “O Conde de Monte Cristo”

The Count of Monte Cristo (2002 film)

The Count of Monte Cristo (2002 film) (Photo credit: Wikipedia)

“O Conde de Monte Cristo” retrata a vida de um jovem de Marselha que é tripulante de um navio chamado Pharaon, esse jovem se chama Edmond Dantès. No começo do filme o Pharaon desembarca em uma ilha, com o objetivo de entregar uma carta de Napoleão, nessa viagem o capitão do navio morre e quando Edmond volta para Marselha ele descobre que será o novo capitão do navio, sua vida nessa época era bem feliz, além de conseguir o cargo de capitão do navio, ele estava prestes a se casar com uma catalã muito bonita chamada Mercedes (Dagmara Dominczyk).

Toda essa felicidade despertou a inveja daqueles que estavam próximos de Dantès e então em uma dia essas duas pessoas resolveram se reunir em um bar, eles eram Danglars (Albie Woodington), outro tripulante do Pharaon, que tinha inveja do cargo de capitão que Edmond acabara de conseguir e Fernand Mondego, que queria Mercedes para si. Então os dois ficaram bêbados e redigiram uma carta denunciando Edmond de conspirar para a volta de Napoleão.

Edmond se casa com Mercedes e de repente no meio do casamento a guarda francesa chega e Edmond é levado a um promotor, o jovem Villefort (James Frain). Dantès explica sua situação para o promotor e quase consegue ser liberado, porém quando Villefort toma conhecimento do conteúdo da carta ele descobre que o destinatário era seu próprio pai, então, para livrar sua reputação de apoiador do regime francês ele queima a carta e manda Edmond para o exílio no castelo de If.

Edmond passa longos anos da sua vida preso no castelo de If, nesse seu período preso ele conhece o abade Faria, que se torna uma espécie de pai para ele, é impressionante a transformação de Dantès depois que conhece esse abade, ele passa de um ignorante de Marselha para um homem que lê grandes clássicos como “A Riqueza das Nações” de Adam Smith e o “O Príncipe” de Maquiavel. Além de enriquecer sua inteligência o abade Faria tenta fugir da prisão usando a ajuda de Edmond. Faria  também fala de um tesouro de proporções imensas na ilha de Monte Cristo.

13-the-count-of-monte-cristo

Depois de muitos esforços ao tentar sair do castelo de If, o abade Faria morre e Dantès aproveita sua morte para fugir do exílio, nessa prisão é tradição jogar os corpos dos mortos no mar, então Edmond entra em um saco onde era para estar o corpo do abade e é jogado no mar, assim ele foge da sua prisão.

Edmond descobre que todo o processo que o levou a prisão e decide se vingar, ele consegue achar o tesouro na ilha de Monte Cristo e assume a identidade do Conde de Monte Cristo, com essa identidade ele se aproxima daqueles que armaram contra ele e se vinga de um por um, o destino de todos que foram responsáveis pela prisão de Monte Cristo se torna a morte, porém ele se vê arrependido depois de ter conseguido sua vingança.

Alexandre Dumas, père

Alexandre Dumas, père (Photo credit: Wikipedia)

Com Jim Caviezel, no papel de Edmond, Guy Pearce no papel de Fernand Mondego e Richard Harris no papel de abade faria, o filme se torna uma adaptação média do grande clássico de Alexandre Dumas, pois muitos acontecimentos são totalmente diferentes do filme em relação ao livro e muitas partes importantes e personagens foram deixados de lado. Apesar disso é um bom filme, considerando que conseguiu resumir bem em duas horas um livro com quase duas mil páginas.

Ficha Técnica

  • O Conde de Monte Cristo
  • The Count of Monte Cristo
  • EUA, 2002
  • Diretor: Kevin Reynolds
  • Roteiro: Jay Wolpert
  • Elenco: Dagmara Dominczyk, Guy Pearce, James Frain, Jim Caviezel, Luis Guzmán, Richard Harris
  • 131 minutos
  • 14 anos
  •  Buena Vista

Nota: 7/10

Advertisements

Análise de Millenium – Os homens que não amavam as mulheres

Daniel Craig at the Orange British Academy Fil...

Daniel Craig at the Orange British Academy Film Awards in London’s Royal Opera House (Photo credit: Wikipedia)

Millenium conta a história de Mikael Blomkvisk, um jornalista sueco que ficou encarregado de investigar o desparecimento de uma mulher da família Vanger, que é de um clã de empresários. Ao longo dessa investigação ele conhece uma hacker chamada Lisbeth Salander.

O filme trata de temas muito sérios, como o estupro. Em uma das cenas Lisbeth é abusada pelo seu tutor, porém ela tem sua vingança e molesta ele também em outro momento do filme. Salander é uma garota problemática, com problemas psquiátricos.

O filme conta com a atuação de Daniel Craig, que também fez o papel do atual 007, nesse longa ele interpreta o Mikael. Direção de David Fincher, do filme Clube da Luta. Lisbeth é interpatada por Rooney Mara, que participou da “Rede Social”.

Ficha Técnica

  • Os Homens que não Amavam as Mulheres
  • The Girl With a Dragon Tatoo
  • EUA, 2011
  • Diretor: David Fincher
  • Roteiro: Steven Zaillian
  • Elenco: Alan Dale, Arly Jover, Bengt C. W. Carlsson, Cate Montgomery, Christopher Plummer, Daniel Craig, David Dencik, Donald Sumpter, Elodie Yung, Embeth Davidtz, Eva Fritjofson, Geraldine James, Goran Visnjic, Henry Hereford, Inga Landgre, Joel Kinnaman, Joely Richardson, Jordan David, Josefin Asplund, Julian Sands, Laurence Fuller, Martin Jarvis, Mathilda von Essen, Matthew Wolf, Moa Garpendal, Per Myrberg, Robin Wright, Rooney Mara, Sahlima, Sandra Andreis, Stellan Skarsgård, Steven Berkoff, Ulf Friberg, Yorick van Wageningen
  • 158 minutos
  • 18 anos
  • Sony Pictures

Nota: 9/10

Image

Análise de “Somos tão Jovens”

O filme retrata os jovens de brasília nos anos 80. Centrado em Renato Manfredini (Thiago Mendonça), conhecido por ter sido o vocalista da Legião Urbana, porém em poucos momentos do filme essa banda é citada, sendo a história mais focada na seu conjunto anterior, o Aborto Elétrico.

Image

Não só as bandas de Renato são apresentadas no filme, há também a presença de Hebert Viana (Edu Moraes), vocalista do Paralamas do Sucesso, representando um tipo de mentor para o Russo. Outros personagens são os irmãos Lemos, que faziam parte do Aborto Elétrico e hoje são do Capital Inicial.

No enredo são apresentados temas polêmicos, como a homossexualidade, diversas vezes Renato Russo fala que prefere os meninos e chega até a fazer uma declaração na janela de Fê Lemos (Bruno Torres), apesar disso as relações heterossexuais de Renato Russo são mostradas de uma maneira mais explícita.

Outro tema polêmico tratado durante a história é o uso de drogas, em alguns momentos do filme os jovens de brasília estão consumindo entorpecentes, chegando até a serem detidos pela polícia.

Nas influências musicais de Renato, o punk é muito citado. Diversas são as partes que o público punk fica insatisfeito com o Aborto. Depois de muitas intrigas nessa banda, eles decidem acabar e Renato Manfredini se torna o “Trovador Solitário”, passando por um breve período de carreira solo.

Depois disso ele conhece o Dado Villa Lobos (Nicolau Villa Lobos) e o Marcelo Bonfá (Conrado Godoy) e forma o Legião Urbana. O filme acaba com os três indo fazer um show no Circo Voador, um dos principais espaços para show no Rio de Janeiro.

Ficha Técnica

  • Somos Tão Jovens
  • Brasil, 2013
  • Diretor: Antonio Carlos Fontoura
  • Roteiro: Marcos Bernstein
  • Elenco: André de Carvalho, Antonio Bento, Bianca Comparato, Bruno Torres, Conrado Godoy, Daniel Passi, Edu Moraes, Henrique Pires, Ibsen Perucci, Kael Studart, Kotoe Karasawa, Laila Zaid, Leonardo Villas Braga, Maísa Lacerda, Marcos Breda, Natasha Stransky, Nathalia Lima Verde, Nicolau Villa-Lobos, Olivia Torres, Paulo Wenceslau, Rene Machado, Sandra Corveloni, Sérgio Dalcin, Thiago Casado, Thiago Mendonça, Victor Carballar, Vitor Bonfá, Waldomiro Alves
  • 104 minutos
  • 14 anos
  • Imagem Filmes

Nota: 7/10